Hoje: 21 de Feb de 2018

Prefeitura de Cajazeiras não reconhece paralisação e alerta que ponto dos faltosos será cortado‏

As Secretarias de Educação e Administração do município de Cajazeiras vem tornar público à toda comunidade, que o ato de paralisação dos servidores da educação, convocado pelo SINFUMC Sindicato dos servidores do Município de Cajazeiras para os dias 23, 24 e 25 do corrente mês de Abril não encontra fundamento legal.

O direito de reivindicação de melhorias das condições de trabalho e de  by Text-Enhance" style="color: #6c7f2f;">salário é direito sagrado e reconhecido pela edilidade municipal, tanto o é, que esta administração implantou o piso salarial nacional para todos os professores da rede municipal, bem como, implantou a progressão funcional e deslocamento dos mesmos, demonstrando assim o compromisso com a Educação e com seus profissionais.

O atraso no pagamento dos meses de novembro e dezembro de 2012, trata-se de uma herança maldita deixada para a atual administração, e que o município de Cajazeiras está buscando uma solução plausível para o pagamento dos citados meses, dentro de uma ótica real respeitada as condições econômicas do município de Cajazeiras.

O SIMFUNC informa em ofício enviado à Secretaria de Educação, que outro assunto da pauta da assembléia que resultou na paralisação supra mencionada, se refere a dívida do MUNICÍPIO junto ao IPAM. A dívida alegada foi deixada pela última administração compreendida entre 2009/2012, período em que o sindicato permaneceu silente e inerte quanto a tal situação. O município de Cajazeiras através da gestão atual instaurou  by Text-Enhance" style="color: #6c7f2f;">procedimento administrativo para apurar a responsabilidade deste débito, bem como envida esforços para repactuação do débito.

Esclarecemos que o município de Cajazeiras encontra-se a disposição dos servidores do município e seus representantes para negociação de direitos eventualmente reivindicados, não sendo a paralisação o mecanismo ideal para a solução dos problemas, ao revés prejudica o maior interessado e beneficiário que é o aluno.

Por fim informamos que as escolas estarão abertas no período da paralisação convocada, e que serão apontadas faltas para os servidores que não laborarem naqueles dias.